fbpx

Seja Bem-Vindo a Zanatta Estufas

EnglishPortugueseSpanish
berinjela em estufas

Favorecimento do cultivo de berinjela em estufas

67

A proteção no cultivo de berinjela em estufas permite que se cultive praticamente o ano todo, principalmente quando aliado ao uso do mulching.

O mercado consumidor brasileiro tem se tornado, a cada dia mais exigente quanto à qualidade do produto e preço de hortaliças como a berinjela, afirma Antonini et al. (2002). Por conta disso o produtor vêm, a cada dia, se modernizando e investindo em tecnologias que visem um melhor aproveitamento da cultura, de modo a obter cada vez mais uma produtividade elevada, sem perder de vista a qualidade. Quando o manejo é adequado, é possível que cultivares híbridas indicadas para cultivo protegido cheguem a uma produtividade média neste sistema que atinjam até 15 kg por planta e 60 a 95 t/ha em cultivo protegido, uma realidade no Brasil.

Regiões produtoras.

Atualmente, os Estados de SP, MG, RJ e ES correspondem a 83% do total comercializado nas Casas. Os Estados da região sudeste são os principais produtores de berinjela no Brasil. Só no ano de 2004 a área de berinjela plantada no Estado de São Paulo era de 1300 hectares, com uma produção de 46 mil toneladas e produtividade média de 34 t/ha (Instituto de Economia Agrícola, SAA, 2005). O Estado de Minas Gerais chega a uma produtividade de 25 a 70 t/ha, quando são obedecidas às exigências de adubação e manejos adequados na região, seguidos do Estado do Rio de Janeiro, com uma produtividade de 20 a 30 t/ha.

Em estufas

Segundo a Embrapa (2017), em regiões como condições climáticas adversas, tais como chuvas, frio intenso e ventos, a proteção no cultivo de berinjela permite que se cultive praticamente o ano todo, principalmente quando aliado ao uso do mulching. Este cultivo geralmente reduz o ataque de doenças e pragas, propiciando economia de insumos. Além disso, os frutos apresentam uma aparência melhor e boa qualidade. O período da colheita é prolongado por mais tempo.

A produção em estufas em sistema hidropônicos ou vasos permite o controle mais eficaz. Quando há a utilização de fertirrigação a produtividade é elevada.

Ao remover a planta do solo e colocando-a em sistema hidropônico há uma melhora substancial de muitos problemas, como doenças e pragas que envolvem o cultivo.

Do plantio à colheita

O plantio deve ser feito em locais com declividade de até 4% no terreno. Devem ser construídos canteiros de 1 m de largura com 0,2 m de altura. A distância entre os canteiros fica entre 0,4 a 0,6 m.

A forma mais cultivada é em fileiras simples, obedecendo um espaçamento que pode variar de 1,2 a 1,5 m entre linhas e 0,6 a 1,0 m entre plantas, porém deve-se atentar para as condições do local de plantio.

Este pode ser feito com o uso de mulching em associação ao cultivo protegido, evitando a proliferação de plantas daninhas.

É importante que as mudas sejam feitas em bandejas também em ambiente protegido, como viveiros ou em casa de vegetação.

O uso de bandejas de poliestireno expandido com 128 células é adequado, e o substrato deve ser aerado, com nutrição balanceada para um bom desempenho das plantas em campo. Plantas de berinjela se adaptam melhor a temperaturas entre 18 e 30 °C e 80% de umidade relativa do ar.

Irrigação

A irrigação deve ser regular e adequada, sem encharcamento ou seca, nas mudas, pois essa fase é de suma importância para que resulte em plantas vigorosas.

Recomenda-se que a irrigação seja realizada duas vezes, em dias mais frios, até quatro vezes, em dias quentes, nos horários amenos do dia, como início da manhã e fim de tarde.

O transplante é feito quando as mudas apresentam quatro folhas definitivas para os canteiros. Neste momento deve ser feito um procedimento de tutoramento das plantas, seja com fitilhos, fio de arame ou estacas de bambu.

No decorrer do crescimento das plantas é realizada a amarração dos ramos aos tutores.

Adubação de cobertura

A adubação de cobertura é recomendada a partir dos 30 dias após o transplante das plantas aos canteiros. Segundo a Embrapa (2017), até a formação dos primeiros frutos a relação N: K deve ser de 1:1 e, após esta fase, a proporção recomendada é de 1:1,5 ou 1:2,5.

O monitoramento da temperatura dentro da área de produção ajuda a evitar problemas como o abortamento de flores e frutos.

A colheita inicia quando os frutos apresentam o tamanho de 15 a 20 cm de comprimento, no período de 45 a 60 dias após o transplante, conforme as condições ambientais do local de cultivo.

O ponto de colheita é observado pelas características visuais da variedade, e depende do fruto e coloração do cultivo.

Os frutos devem estar com a coloração brilhante e a polpa macia, e devem ser colhidos antes de completarem seu ciclo de maturação.

Em campo

O clima favorável ao desenvolvimento da berinjela é tipicamente tropical, favorecido pelo calor (Filgueira 2000). A maior limitação para o cultivo é a umidade no solo inadequado durante seu ciclo, como ocorre na maioria das hortaliças (Marouelli et al, 1996).

Para Maldaner et al. (2008), com o aumento da demanda o cultivo da berinjela em ambientes protegidos vem se tornando uma alternativa viável, sendo uma fonte de renda para as pequenas propriedades rurais.

O cultivo em ambiente protegido caracteriza-se pela construção de uma estrutura para a proteção das plantas contra os agentes meteorológicos, permitindo a passagem de luz, pois esta é essencial à realização da fotossíntese.

Esse sistema de produção agrícola possibilita certo controle das condições edafoclimáticas, tais como temperatura, umidade do ar, radiação, solo, vento e composição atmosférica (Ribeiro 2008).

Para Reis et al. (2011), esta hortaliça tem sido cultivada em ambiente protegido, o qual possibilita um abastecimento contínuo e colheitas em períodos de baixa oferta do produto no mercado, alcançando, por isso preços mais competitivos.

Viabilidade

O cultivo de berinjela gera uma rentabilidade positiva aos produtores, sendo ela uma das maiores receitas com venda registradas nas Casas no território nacional entre os anos de 2016 e 2018.

Os custos de produção não são elevados, sendo alto apenas o investimento inicial.

Quando cultivada em estufa, grande dos problemas ocasionados pelo manejo são resolvidos, elevando a produtividade e dando mais qualidade ao produto final. Claro, tudo orientado por um profissional da área.

Confira também: 5 dicas na hora de escolher a sua estufa agrícola.

Siga-nos em nossas mídias socias: Facebook | Instagram.

Leave Your Reply

Your email address will not be published.